Ah leleke lek lek lek lek

Foto: Maíra Coelho / Agência O Dia

Eles criaram o grupo há oito meses, mas foi há três que a vida de quatro meninos da comunidade Coronel Leôncio, no bairro da Engenhoca, em Niterói, mudou radicalmente. É que o clipe de ‘Passinho do Volante’ (do verso “Aaaah, lelek lek lek lek lek…”), de MC Federado e os Lelekes, virou fenômeno na internet, com mais de 11 milhões de visualizações só do vídeo original e 30 milhões se contarmos as versões. Até Neymar já fez o passinho, o que alavancou ainda mais a popularidade deles.

“Foi a maior emoção quando vi o vídeo do Neymar, nem acreditei”, conta Paulo Victor Conceição Silva, 18 anos, o MC Federado. “Era madrugada, quando a minha tia me mandou, e fui na casa dos meninos para mostrar para eles”, diz. Ele é o que canta no grupo, que ainda tem os dançarinos Alex Junior, 18; Alan Johnson, 19; e Renan Miguel, 18, o único que não vive na comunidade (mora no Sapê). Antes da fama repentina, Federado ajudava a mãe em casa, Alex trabalhava num lava-jato, Alan era barbeiro e Renan, mototaxista.

O clipe foi gravado na Coronel Leôncio e custou apenas R$ 70: foram usados um tablet e uma câmera fotográfica digital, e os moradores do local fizeram as vezes de figurantes. Segundo o empresário Dieddy Santana, a agenda do grupo, que vem rodando o Brasil acompanhado do DJ Bicudo, de São Gonçalo, está fechada até o início de junho. “Eles são da mesma comunidade do Buchecha, o que prova que um raio cai várias vezes no mesmo lugar”, brinca.

“Agora já viu, né? As mulheres tudo dando em cima”, diverte-se Federado. Todos tinham namorada, mas ele faz questão de frisar que agora estão solteiros. “Elas não aguentaram a pressão da gente viajando toda hora”, conta Renan.

Os quatro andam vestidos da mesma maneira: calça skinny, óculos Ray-Ban Wayfarer (aquele do Restart) sem lente e camiseta com o verso famoso da música. Federado e Alan ainda exibem cristaizinhos coloridos nos dentes. Eles usam Super Bonder para colar, mas a dentista Bianca Barata avisa que a cola é tóxica para ser usada na boca. “Chamamos esse tipo de colagem de piercing, e costumo usar resina fotopolimerizável”, explica.

(matéria publicada hoje na capa do suplemento O Dia D, do jornal O Dia)

Ecad e a cobrança de direitos autorais dos blogs

E o Google se manifestou sobre o fato do Ecad estar cobrando direitos autorais de blogs que incorporam vídeos. “(…) vemos com surpresa e apreensão o recente movimento do ECAD na cobrança direta a usuários da ferramenta de inserção (“embed”) do Youtube”, escreveu no blog do YouTube o diretor de políticas públicas e relações Governamentais do Google Brasil, Marcel Leonardi. O resto do post você vê aqui.

Só digo uma coisa: Iaaaaai, Ecad!

Social Widgets powered by AB-WebLog.com.